Camiões Tatra Phoenix: verdadeiros todo-o-terreno

Tatra01A histórica marca checa conquistou reconhecimento sobretudo pelas características de mobilidade fora de estrada dos seus veículos. Com a DAF desenvolveu uma gama para construção e minas cuja eficiência tem sido posta à prova e confirmada desde o seu lançamento em 2011 pela media especializada do sector. Da Austrália aos EUA os novos Tatra estão a ganhar posições no concorrido segmento Off Road.

As transformações políticas, económicas e sociais no antigo bloco de Leste colocaram a Tatra, tradicional construtora de camiões militares e de alguns modelos comerciais, numa rota de competição com as marcas estabelecidas globalmente no sector dos transportes.

Embora detendo um historial associado à robustez e eficácia fora de estrada – dois dos factores que lhe garantiram prestígio e respeito internacionais – o nível tecnológico inerente aos desenvolvimentos das motorizações, electrónica operativa e de controlo, ambiente a bordo e ergonomia estavam muito atrás dos seus concorrentes.

Tatra Phoenix 6x6 com caixa basculante para rochas

Tatra Phoenix 6×6 com caixa basculante para rochas

Ainda assim não faltou inovação em todo o percurso industrial da empresa que fabricou o seu primeiro camião em 1898, conquistando o comportamento motriz ou a durabilidade dos pesados da Tatra muitos admiradores em todo o mundo: o famoso chassis baseado numa forte estrutura tubular alojando a transmissão, à qual se unem os elementos de suporte e semi-eixos suspensos independentes, possibilita uma ampla oscilação das rodas e o seu contacto constante com os pisos, garantindo uma tracção eficaz em quaisquer terrenos. Além destas aptidões, a arquitectura criada pela Tatra evoluiu para a integração de um resistente sistema de suspensão misto que conjuga as soluções pneumática e mecânica.

Consciente das vantagens técnicas que têm valorizado a marca desde o começo do século passado, a holandesa DAF tornou-se sua parceira em 2011, investindo na aquisição de capital da sociedade (19%), desenvolvendo conjuntamente uma nova gama para construção, operações extractivas e protecção civil denominada por Phoenix, com quatro variantes de configuração motriz: 4×4, 6×6, 8×8 e 8×6.

A transferência de força motriz ao solo é permanente

A transferência de força motriz ao solo é permanente

No que respeita aos motores diesel adoptados, a opção incidiu em unidades de 6 cilindros em linha da Paccar (grupo industrial norte-americano que detém as marcas Kenworth, Peterbilt e DAF), modelos MX (Euro 4 e Euro 5) de 12,9 litros, arrefecimento líquido, injecção de alta pressão, turbo com pós arrefecimento e sistema SCR (Redução Catalítica Selectiva) para tratamento dos gases de escape. As potências variam entre 360 cv e 510 cv, produzindo valores de binário máximo de 1.775 (MX265), 2.000 (MX300), 2.300 (MX340) e 2.500 Nm (MX375). Os intervalos entre revisões para estes propulsores podem situar-se nos 150.000 km.

Noutras gamas de camiões civis e militares que fabrica, a Tatra incorpora os seus tradicionais motores diesel V8 biturbo refrigerados a ar e modelos da Cummins ou da Deutz com refrigeração líquida.  As transmissões, fornecidas pela ZF, possuem 16 velocidades nas duas variantes disponibilizadas: manual servo-assistida Ecosplit e automática AS-Tronic.

Concepção dos eixos e suspensões resulta em mobilidade insuperável nesta categoria de transportes pesados

Ampla oscilação das suspensões favorece a mobilidade

Ampla oscilação das suspensões favorece a mobilidade

Na concepção estudada para o chassis, semi-eixos e suspensões reside uma boa parte da eficácia que os novos Tatra Phoenix revelam perante circustâncias de progressão difíceis, transpondo elevações expressivas no solo sem perda de tracção ou estabilidade. Um elevado poder de amortecimento proporcionado por foles pneumáticos instalados nas ligações dos semi-eixos ao elemento tubular central impede que choques ou vibrações originadas na rodagem sejam transferidos às estruturas.

À grande oscilação de todas as rodas juntam-se ainda o bloqueio diferencial, ângulos de ataque entre 31 e 35 graus, alturas livres ao solo de 30 ou 35 cm dependendo dos pneus aplicados e um dispositivo que permite ao condutor regular a pressão destes a partir da cabina.

As cabinas são fornecidas pela DAF

As cabinas são fornecidas pela DAF

Estas características construtivas possibilitam também velocidades de deslocação altas em superfícies com irregularidades e desníveis substanciais. A velocidade máxima é limitada electronicamente aos 85 km/h. Adicionalmente, atendendo à extrema dureza dos transportes em pedreiras e minas, toda a zona inferior dispõe de guardas contra impactos e materiais isolantes para impedir que água, poeiras ou lama causem danos.

Habitáculo moderno faz toda a diferença

Um aspecto prejudicial relativamente à concorrência com que a Tatra se deparou quando os seus veículos passaram a destinar-se mais a aplicações civis, era a qualidade inferior das cabinas, abaixo dos padrões de conforto seguidos pelas restantes marcas. A cooperação com a DAF veio solucionar este atraso: todos os modelos da linha Phoenix incorporam cabinas insonorizadas, basculantes, produzidas segundo os critérios actuais de segurança, ergonomia e habitabilidade, para dois ou três ocupantes. O desenho do painel privilegia a visão dos indicadores e o acesso sem restrições aos comandos da consola situada à direita do posto de condução. Existem muitos compartimentos para arrumação e tanto o volante como os assentos são totalmente reguláveis facilitando que o condutor estabeleça a posição mais adequada e confortável. De série incluem vidros eléctricos, assento de condução com suspensão pneumática, comando remoto para abertura e fecho, retrovisores aquecidos, ventilação e aquecimento. Opcionalmente podem ser equipadas com ar condicionado automático, aquecimento independente e diferentes tipos de revestimentos internos.