ETF Mining Trucks

ETF01

Por enquanto é um projecto ambicioso que objectiva revolucionar os transportes em explorações mineiras, operações extractivas de agregados e grandes obras de construção de infra-estruturas.

ETF01bImaginemos um comboio de grandes dumpers, conduzidos por um único operador e descarregando de modo sincronizado as suas caixas basculantes de elevada capacidade, totalizando mais de 1.300 toneladas em somente um ciclo de transporte. Se a isto juntarmos avançadas motorizações híbridas, sistemas computorizados de gestão energética ou suspensões com a flexibilidade suficiente para dispensar a construção de vias de circulação planas, chegamos a muito do que é pretendido com o conceito idealizado por Eddy de Jong, o CEO da ETF – European Truck Factory GmbH.

De facto o intuito dos designers do concept ETF centra-se em transformar radicalmente o camião mineiro tradicional conhecido por Dumper Rígido e que mantém as suas características de mobilidade e transporte há muitas décadas. É indubitável que no seu longo historial ocorreram desenvolvimentos importantes: o custo por tonelada transportada tem diminuído consideravelmente, os veículos são de um modo geral mais leves e económicos, continuando o rácio entre estes factores e as suas capacidades a ser optimizado ano após ano.

ETF02No entanto colocam-se vários desafios num futuro já próximo que obrigam ao repensar dos meios de transporte usados em actividades extractivas de uma forma profunda, que permita exponenciar a rendibilidade até aos níveis superiores que serão requeridos dentro de pouco anos. E esta questão supera largamente os encargos relativos a combustíveis, há muito mais a equacionar para que sejam obtidas melhorias relevantes neste domínio.

Com esse propósito, a ETF tem-se dedicado à investigação e ao desenvolvimento conceptual de dumpers destinados a estabelecer novos parâmetros produtivos nos sectores mineiro e da construção em grande escala. Assumindo a denominação de gama MT (Mining Truck), a empresa alemã tenciona produzir quatro modelos para capacidades de 155, 218, 290 e 363 toneladas.

Manutenção simples e económica

ETF04Atendendo aos recursos necessários à manutenção e assistência das frotas de grandes camiões, a modularidade é um dos itens em evidência neste inovador projecto: para uma qualquer reparação e de maneira a evitar que o veículo tenha de ser transportado até à oficina, componentes do conjunto motriz ou eléctricos e electrónicos serão facilmente substituíveis onde este esteja imobilizado. Deste modo, a equipa técnica transporta consigo o módulo que seja necessário substituir e eventualmente um empilhador caso se trate de um componente pesado. O mesmo procedimento acontece no caso dos pneumáticos uma vez que, sendo as suas dimensões e peso similares às de um camião comum, as operações de troca são bastante simplificadas. Em termos de melhoria da operacionalidade, as vantagens são claras. Neste capítulo, os engenheiros da ETF estimam igualmente uma poupança expressiva devido ao custo elevado dos enormes pneus que equipam os dumpers rígidos convencionais, associando ainda à melhor distribuição das cargas benefícios no que respeita ao desgaste e à durabilidade.

ETF05Fundamentais serão ainda as tecnologias de comunicação remota: a partir de cada unidade serão emitidas informações sobre o desempenho e resultantes de diagnósticos ao estado dos diversos componentes, possibilitando aos responsáveis pelas frotas um controlo abrangente, culminando numa gestão suportada por dados precisos e disponíveis em tempo real.

Em estudo, a ETF possui também um meio que tornará os dumpers MT plenamente autónomos: ao acoplarem um equipamento constituído por dois transportadores à sua caixa basculante, tornam-se autocarregáveis. Este sistema é accionável pelo próprio veículo e, após o carregamento, permanece no local de recolha.

Todos os eixos, independentes e multi-oscilantes, são motrizes e giram sincronizadamente para direccionamento. Quando o veículo se desloca em vazio podem elevar-se dois ou quatro conjuntos de rodados. Consoante a carga e as características dos terrenos, em modo automatizado ou através de acção do operador, será possível estabelecer diferentes combinações relativamente a transferência de força de tracção ao solo.

Nenhum Mining Truck da ETF foi até agora fabricado, mas a empresa tem-se mantido activa na demonstração da viabilidade deste conceito, procurando parceiros de negócio para impulsionar a sua concretização.