por
Data
under
Permalink

Reabilitação de estradas e pontes tem contribuído significativamente para o desenvolvimento de Angola

Angola1Expansão da rede rodoviária viabiliza a fixação de empresas, dinamizando múltiplas actividades: as interligações indústria-comércio, potenciadas pelo encurtar de distâncias, reflectem-se cada vez mais na evolução económica do país. A Rede Fundamental de Estradas de Angola totaliza, na sua configuração final, cerca de 26.000 quilómetros de extensão.

A implementação do programa rodoviário nacional a cargo do Instituto de Estradas de Angola (INEA) imprimiu novas dinâmicas ao trabalho de reabilitação e construção da rede de estradas e pontes, contribuindo significativamente para o desenvolvimento do país.

O INEA realizou um conjunto de acções que têm a ver com a reabilitação de infra-estruturas rodoviárias e também de pontes.

Angola2A Rede Fundamental de Estradas de Angola totaliza, na sua configuração final, cerca de 26.000 quilómetros de extensão, dos quais aproximadamente 8.000 quilómetros eram pavimentados e encontravam-se em avançado estado de degradação – com inúmeros troços intransitáveis.

O plano delineado inicialmente, inserido no Programa Executivo de Reabilitação de Estradas, contemplava a reabilitação de cerca de 1.476 quilómetros de estradas da rede definida por fundamental.

Em 2006, com o seu arranque efectivo foram redefinidos os parâmetros estruturados originalmente, impondo-se o alargamento do programa com a inclusão de novas obras e expandindo a rede objecto de reabilitação para cerca de 7.500 quilómetros de estradas.

No entanto, esse número seria ultrapassado, com abrangência nacional, atingindo actualmente cerca de 16.000 quilómetros e mais de 300 quilómetros de arruamentos nas principais cidades.

Angola3A magnitude do Programa de Reabilitação de Infra-estruturas Rodoviárias foi superada de modo significativo, consubstanciada na diferença do programa inicialmente concebido face às estradas agora abrangidas.

No quadro destas acções, desde 1992 que o Instituto de Estradas de Angola tem instalado pontes metálicas provisórias, com vista a viabilizar a circulação nos troços onde o tráfego se encontra impedido, situação que ocorre fundamentalmente nas vias secundárias e terciárias da rede nacional. Até a data, montaram-se mais de 317 destas estruturas, entre simples e duplamente reforçadas.

No presente, e em paralelo à reabilitação das estradas, as pontes provisórias estão a ser substituídas por soluções definitivas, maioritariamente edificadas em betão armado.

Está em curso a reabilitação e construção de 327 pontes, incluindo as inseridas nas empreitadas de estradas a nível nacional.

As pontes metálicas modulares de carácter provisório foram instaladas em situação de emergência, constituindo estruturas temporárias, na expectativa da sua posterior substituição por estruturas definitivas.

Mobilidade em Luanda: Troço BFA/Encib recebe primeira camada de asfalto

Angola6Os quinhentos metros e meio do último troço da via expresso Boavista/Kifangondo, no sentido descendente entre o BFA e a ENCIB, está a receber a primeira camada de asfalto, após terraplenagem e criação das valas de drenagem.

A empreitada teve início em Agosto com a demolição de alguns empreendimentos que existiam no seu perímetro para facilitar o alargamento, colocação de uma nova rede de distribuição de água potável e energia eléctrica, bem como a criação de faixas de rodagem com três vias por sentido. A fase seguinte desta empreitada consistirá na colocação de placas de sinalização e postos de iluminação pública.

Em curso desde 2007, a recuperação da via expressa Boavista/Kifangondo contemplou, numa primeira fase, as vias Refinaria/Cimangola (2 quilómetros), Kifangondo/Cacuaco (10 quilómetros), bem como a criação de uma ponte sobre as Salinas de Cacuaco.

A estrada terá uma faixa de rodagem com três vias em cada sentido, sistemas de drenagem, iluminação, sinalização e passagens aéreas pedonais.

Uma fonte ligada ao projecto fez saber que, após concluído este trecho, a próxima empreitada compreenderá a via Comarca de Luanda/Rotunda da Boavista, Rotunda da Boavista/antigo Mercado Roque Santeiro, no distrito do Sambizanga.