Moagem Mineira

ABB adquire o negócio de motores para o sector mineiro da Alstom, reforçando a área de negócio dos sistemas de accionamento sem engrenagens para moinhos de grande capacidade.

A ABB, o grupo líder global em tecnologias para energia e automação, anunciou a aquisição do negócio de motores da Alstom, tencionando assim fortalecer a sua divisão de sistemas sem engrenagens para accionamento de moinhos (Gearless Mill Drives ou GMD). Esta unidade fabril, localizada em Trapagarán, na província de Biscaia, em Espanha, conta com cerca de 120 colaboradores e será integrada na divisão Process Automation da ABB.

Os sistemas de accionamento sem engrenagens são utilizados na indústria mineira para processar grandes quantidades de minério e extrair metais como cobre, ouro, platina, ferro ou molibdénio.

01126974_2.jpgEstima-se um aumento significativo do mercado de sistemas GMD (Gearless Mill Drives) em virtude da crescente demanda por minérios, sobretudo nas economias emergentes em fase de industrialização. As minas mais profundas, com jazidas mais complexas e matérias menos ricas, requerem o processamento de quantidades cada vez maiores para se obterem as mesmas quantidades de metais. Os sistemas GMD destinam-se fundamentalmente a optimizar os processos de moagem, melhorando a eficiência energética e o rendimento produtivo conseguido em cada ciclo.

Veli-Matti Reinikkala, director da divisão Process Automation da ABB, afirmaria: “Esta aquisição permitirá associar o motor Alstom, um produto de tecnologia de ponta, com a gama da ABB de sistemas de accionamento GMD, melhorando o nosso posicionamento como fornecedores especializados em soluções eficientes para a indústria mineira. A sinergia gerada com esta junção de operações proporcionará novas oportunidades de crescimento”.

O motor e a solução da ABB para sistemas GMD só podem trabalhar em conjunto, e por isso são inteiramente complementares. “Os conhecimentos, experiência e tecnologia que esta aquisição nos traz, farão com que reforcemos as nossas capacidades de desenvolvimento, fabrico e suporte. A longo prazo, os clientes finais desfrutarão dos benefícios do controlo de qualidade da ABB e do excelente desempenho dos seus sistemas”.

Economia energética superior é decisiva na rentabilidade dos processos

01127204_2.jpgO sistema GMD prescinde de todos os componentes mecânicos de um grupo de moagem tradicional. Ao montar os pólos do rotor directamente no moinho, este é em si mesmo o rotor do motor sem engrenagens. O motor sem engrenagens é um motor síncrono de grandes dimensões, que utiliza electrónica de potência e um campo magnético para controlar a velocidade de rotação. Sem interacção mecânica entre as partes fixas e as giratórias, há uma redução significativa no consumo energético e melhora-se a fiabilidade global do equipamento. A potência motora pode chegar a alcançar os 28 MW para esta aplicação.

As matérias-primas procedentes da etapa de moagem normalmente alimentam moinhos semi-autógenos (SAG), autógenos (AG), ou de esferas, para uma trituração mais fina. Estes moinhos são cilindros mecânicos de 10 a 15 metros de diâmetro, que podem moer centenas de toneladas de minério por hora. Para tornar a moagem mais eficiente, estes moinhos giram a baixas velocidades.

GMD infographic_final_ES_2.inddAo necessitar de menos tempo para manutenção, segundo a ABB, um GMD de 16 MW tem anualmente uma disponibilidade superior em 2,7% face a um sistema mecânico convencional, o que pode corresponder a uma redução anual de encargos, numa exploração de cobre média, superior a 15,5 milhões de dólares.

Os sistemas GMD podem alcançar uma altura de 21,7 metros, equivalendo sensivelmente a 27 pessoas. Os pólos do rotor são instalados directamente no moinho. Para fazer girar um moinho SAG (semi-autógeno) de 42 pés (12,8 metros) a uma velocidade típica de 8,9 rpm, com a carga nominal, o sistema de accionamento requer 28 MW de potência (equivalente à energia necessária para mover 375 automóveis). Um GMD de 28 MW para accionar um moinho SAG (semi-autógeno) de 42 pés (12,8 metros) permitirá processar diariamente 130.000 toneladas de minério de cobre, resultando em cerca de 163 toneladas de cobre puro fundido. Calcula-se que a poupança energética de um GMD de 16 MW, comparativamente a um sistema de accionamento convencional com a mesma potência, corresponda à electricidade suficiente para abastecer 1700 habitações/dia.