Sandvik Automine

Sand01A tecnologia de operação autónoma das pás carregadoras e dumpers utilizados nas explorações mineiras de subsolo – desenvolvida pela divisão Mining da Sandvik – conquistou recentemente mais uma aplicação de grande envergadura. 

Já em fase de implementação, a Sandvik Mining está a automatizar as operações extractivas de carregamento e transporte de minérios numa exploração subterrânea de diamantes da Argyle (Rio Tinto) situada na região oeste da Austrália.

Aquele grupo mineiro global seleccionou a tecnologia AutoMine, criada pela Sandvik, para expandir a produção e optimizar a eficiência dos processos, a par das garantias de segurança resultantes do funcionamento autónomo das máquinas utilizadas na recolha e movimentação no interior das galerias.

A adjudicação do AutoMine pela mina diamantífera Argyle compreende a automação de 11 pás carregadoras eléctricas Sandvik LH514E e de duas LH410 com motorizações diesel, incluindo ainda o sistema de gestão remota Draw Control para localização, diagnósticos e obtenção de métricas produtivas de cada unidade da frota operada manualmente.

A adjudicação do AutoMine pela mina diamantífera Argyle compreende a automação de 11 pás carregadoras eléctricas Sandvik LH514E e de duas LH410 com motorizações diesel, incluindo ainda o sistema de gestão remota Draw Control para localização, diagnósticos e obtenção de métricas produtivas de cada unidade da frota operada manualmente.

Deste modo, a adjudicação do AutoMine compreende a automação de 11 pás carregadoras eléctricas Sandvik LH514E e de duas LH410 com motorizações diesel, incluindo ainda o sistema de gestão remota Draw Control para localização, diagnósticos e obtenção de métricas produtivas de cada unidade da frota operada manualmente.

À medida que evolua a exploração da mina, está previsto o alargamento gradual – o seu programa extractivo foi delineado em função do AutoMine, estimando-se que a produção anual venha a atingir cerca de 9 milhões de toneladas retiradas dos 16 filões explorados.

Sand04As primeiras 13 máquinas serão controladas por três operadores a partir de uma estação localizada à superfície.

A Rio Tinto voltou a adoptar esta tecnologia devido à experiência que já possui noutra das suas explorações: na mina Northparkes as máquinas abrangidas pelo Automine laboram continuamente 24 horas/dia, estando largamente comprovada a optimização da segurança, eficiência e rendibilidade conseguidas desde que o sistema para operação autónoma de pás carregadoras e dumpers foi aplicado.

O grupo mineiro global Rio Tinto seleccionou a tecnologia AutoMine, criada pela Sandvik, para expandir a produção e optimizar a eficiência dos processos, a par das garantias de segurança resultantes do funcionamento autónomo das máquinas utilizadas na recolha e movimentação no interior das galerias.

O grupo mineiro global Rio Tinto seleccionou a tecnologia AutoMine, criada pela Sandvik, para expandir a produção e optimizar a eficiência dos processos, a par das garantias de segurança resultantes do funcionamento autónomo das máquinas utilizadas na recolha e movimentação no interior das galerias.

“Esta encomenda é mais um marco importante na expansão global do AutoMine, honrando-nos o facto da Rio Tinto apostar novamente na segurança e benefícios proporcionados pelo sistema”, referiu Riku Pulli, vice-presidente da Divisão de Automação Mineira do grupo representado pela empresa Cimertex, S.A. (Portugal, Angola e Cabo Verde).

Totalmente detida pela multinacional Rio Tinto, a mina diamantífera Argyle é uma das mais produtivas do mundo, tendo a sua exploração começado em 1985. Estima-se que até hoje tenham sido extraídos diamantes totalizando mais de 800 milhões de quilates.

A Sandvik Mining é líder mundial no desenvolvimento e implementação de sistemas de automação mineira: o AutoMine é utilizado em diversas minas subterrâneas de sete países.